hospedagem no SEO

Todos nós sabemos que quando desejamos alguma informação, algum site ou algum produto, é só irmos até o Google para encontrar tudo o que procuramos. Isto é tão óbvio que milhões de usuários chegam a relacionar Internet a navegar no Google; e é a partir disso que cria-se a necessidade de estar bem posicionado nos resultados de pesquisa para os termos mais relevantes para o respectivo site.

SEO (do inglês Search Engine Optimization) é a disciplina do marketing digital responsável pelo bom posicionamento dos sites em mecanismos de busca. Na verdade, não existe mágica, e justamente por isso o trabalho de SEO também é conhecido como “otimização de sites” – o que revela o fato de que para um site estar bem posicionado é preciso otimizá-lo.

Mas resta uma pergunta comum: como otimizar o meu site?

Pequenos detalhes fazem uma grande diferença em SEO

Estima-se que o Google utilize cerca de duzentos critérios quando se realiza uma simples pesquisa em seu buscador. Ou seja, em menos de um segundo ele ordena as páginas mais relevantes levando em conta essas centenas de critérios diferentes. Para ter um site otimizado, é preciso basicamente três coisas: uma estratégia de SEO, bom conteúdo e cuidado com todos os detalhes do site. Cada vírgula, bem ou mal utilizada, pode fazer a diferença.

Se você quiser desbravar o universo da otimização, sugiro acompanhar o conteúdo de SEO da Conversion, além de consultar esta checklist de otimização de suas páginas, e entender cada uma das partes do trabalho de otimização de seu site. Agora, nos concentraremos em como a hospedagem pode ajudar (e muito) no SEO de suas páginas.

Uma boa hospedagem é a base de seu SEO

Não é raro empresas pagarem um valor considerável por uma Consultoria de SEO, mas esquecerem de algo tão básico quanto importante: a estrutura de TI por trás do site. Em outras palavras, estamos falando da hospedagem de seu site. Quando um site está hospedado em um provedor ou data center ruins, pode enfrentar diversos problemas de instabilidade e site fora do ar, o que inevitavelmente fará o trabalho de SEO ir por água abaixo.

Separei alguns pontos para se levar em conta em uma hospedagem:

1. Servidores: Brasil x EUA
Quando se fala em hospedagem e SEO, muito se diz que é infinitamente melhor ter uma hospedagem no Brasil em vez de servidor nos EUA. Fato do qual eu discordo, em partes: o mais importante, antes de tudo, é ter um site disponível e rápido.

Não terá impacto direto no SEO ter um servidor no Brasil ou lá fora, mas terá impacto indireto se o carregamento do seu site for lento, no sentido de fidelização do usuário. Mas se for muito lento, aí sim poderá influenciar negativamente no ranking. Como sabemos, um servidor no Brasil costuma se comunicar mais rápido com uma conexão no Brasil. Deste modo, para beneficiar o usuário, é preferível ter um servidor no Brasil, embora isso não seja critério decisivo em SEO.

Os dois critérios principais devem ser a velocidade de carregamento das páginas e a disponibilidade do site.

2. Velocidade de Carregamento
A responsabilidade pela velocidade de carregamento do site deve ser dividida entre programador e provedor de hospedagem de sites. Infelizmente, nem todos os códigos-fonte são bem feitos e, independente da qualidade da hospedagem, irão demorar a serem carregados. Em um site dinâmico, é indispensável trabalhar com algum sistema de cache e, se for possível, trabalhar com memcached, um sistema de cache que fica na memória do servidor e não no disco rígido – é muito mais caro, porém visivelmente mais eficiente. Geralmente só é possível trabalhar em servidores dedicados ou cloud computing.

O seu provedor de hospedagem, entretanto, é um fator muito sensível na hora de entregar rapidamente as suas páginas. Há dois fatores que devem ser levados em conta: velocidade de processamento do conteúdo (solicite ao seu programador realizar esse teste) e a qualidade do link (você pode fazer um teste ping para avaliar).

3. Disponibilidade do Site (Uptime)
Um bom provedor de hospedagem deve ser estável, ou seja, não pode funcionar uma hora sim e outra não. A métrica que acompanha o tempo de disponibilidade de um servidor de hospedagem é o uptime. O ideal é que o uptime seja de 100%, como métrica ideal, mas é aceitável um uptime de 99,9% – o que significa aproximadamente 45 minutos de um site fora do ar por mês. Porém, jamais deve-se aceitar um uptime pior do que esse.

Para acompanhar a disponibilidade e velocidade de seu site, recomendo a ferramenta Pingdom, que oferece um plano gratuito de monitoramento de sua hospedagem.

4. IPs próprios, vizinhança dos IPs e quantidade de sites no mesmo servidor
IPs próprios não são pré-requisito para obter sucesso em SEO, mas considero um ponto desejável, embora sem deixar criar uma “paranóia de IPs dedicados”.

O ponto principal de um endereço de IP são a quantidade e a qualidade dos sites que estarão hospedados no mesmo IP ou servidor. Evite hospedagem que tenham milhares de sites em um mesmo endereço de IP.

5. Cloud Computing é melhor para SEO?
Novamente, trabalhar com cloud computing não é nem de longe obrigatório em SEO, mas costuma ser muito mais fácil e seguro, porque seu site ficará em um único servidor e não sofrerá interferência de sites que podem prejudicá-lo em um ambiente compartilhado. Em um ambiente cloud, que é melhor que hospedagem compartilhada e mais econômico que um dedicado, seu site poderá encontrar todos os recursos abaixo e abordados neste artigo.

Eu endosso, recomendo e uso o cloud computing para hospedagem, mas conheço muitos sites que não estão em estrutura cloud e têm bom desempenho com SEO.

Conclusão – Um modelo de web hosting para SEO

Tendo trabalhado com SEO há mais de seis anos, conheci toda a ordem de problemas inerentes a um trabalho de otimização no que se refere à sua estrutura de hospedagem. Tenho para mim um “modelo ideal” do que todos os sites deveriam trabalhar, mas cuja decisão sobre este modelo deve ser pesada levando em conta a relação custo x benefício, que consiste basicamente no que expus neste artigo.

1) Site em estrutura de cloud computing, para ter alta escalabilidade;
2) IP próprio de seu servidor, preferencialmente um IP dedicado para cada site;
3) Uptime de 99,99%;
4) Cache em memcached;
5) Um servidor que não dê trabalho!

Portanto, invista corretamente em sua solução de hospedagem, para ter tempo de se dedicar ao conteúdo e à estratégia, que são os fatores cruciais em um projeto de SEO.

Espero que tenham entendido o que é mito e o que não é na relação hospedagem x SEO.

Para quem quiser aprender mais um pouco sobre o assunto, a Conversion disponibiliza um Curso de SEO gratuito e online.

Até o próximo post!

Diego Ivo é diretor executivo da agência Conversion e trabalha com SEO há mais de seis anos; em 2012 lançou e ministrou o Curso de SEO do projeto Open SEO, responsável por ensinar SEO a milhares de pessoas. É responsável pela área comercial e participa de todos os projetos agência, escreve artigos e acompanha todas as tendências de marketing online. Perfil Google Plus Diego Ivo

Comente este post